Migração para a Cloud: Os cuidados para o Sucesso

Cada vez mais empresas buscam soluções eficientes para o armazenamento, gestão dos dados e informações do negócio.

Com o protagonismo dos recursos digitais e tecnológicos, tanto no âmbito operacional como estratégico das corporações, alternativas como a computação na nuvem se destacaram. Mas afinal, como realizar a migração para a cloud de forma correta? Essa é uma pergunta importante para quem deseja realizar a jornada para a nuvem e que iremos responder ao longo desse artigo.

Fato é que a tecnologia traz inúmeros benefícios para as empresas, especialmente em um tempo no qual a otimização de processos e melhoria da produtividade são uma necessidade corporativa geral.

Ao realizar a migração para a cloud, as empresas ganham mais eficiência na gestão e segurança dos dados. Com as informações em uma nuvem, a sua organização conquista maior poder de processamento, podendo inclusive automatizar vários processos.

Dessa forma, sua operação recorre à tecnologia para realizar diversos procedimentos.

Porém, a grande dúvida de muitos gestores é como, de fato, alcançar esse patamar. Qual tipo de planejamento é necessário para uma migração para a cloud bem-sucedida?

Neste artigo, vamos explicar os pontos que você deve prestar atenção para que sua empresa realize uma transição segura e eficiente, aproveitando ao máximo os benefícios da tecnologia. Confira!

Os principais cuidados para realizar a migração para a Cloud na sua empresa

A computação na nuvem possibilita acesso às informações de qualquer lugar do mundo, a qualquer hora, a partir de praticamente qualquer dispositivo.

Além disso, ela permite que todas as suas aplicações e ferramentas sejam migradas para a nuvem. Com isso, a sua empresa ganha eficiência (pois centraliza os processos) e diminui custos consideráveis (como de manutenção de hardwares, por exemplo).

O redimensionamento é outro benefício famoso. Com a tecnologia cloud, você paga apenas por aquilo que utiliza. Também é possível aumentar ou diminuir a capacidade de acordo com sua demanda. Assim, os custos podem ser bastante reduzidos.

Porém, usufruir de todos esses benefícios depende de uma migração para a cloud bem realizada. É preciso, além de um provedor confiável, seguir uma série de cuidados para que a transição ocorra de forma a seguir as boas práticas de segurança.

Entenda mais!

  1. Definir o que será migrado

O primeiro passo de uma migração para a cloud é definir o que será migrado. Se falamos de toda sua infraestrutura de dados, é bom ter uma hierarquia de sistemas em mente, priorizando a migração dos menos críticos no começo, já que a administração da nuvem requer conhecimentos que são desenvolvidos conforme a experiência da equipe.

Exemplos: Softwares, informações e demais ativos de TI que você possua.

Assim, a equipe da sua empresa que estará envolvida no processo, aprenderá muito mais. O que vai possibilitar um acompanhamento mais especializado durante a parte mais delicada da migração.

  1. Planeje as etapas de migração

As etapas de migração para a cloud têm uma função bem específica: reduzir o retrabalho e a incidência de falhas.

Portanto, defina um planejamento com as etapas de migração. Lembre-se da hierarquia de sistemas escolhidos, mas também dos testes e do monitoramento de migração.

Com etapas bem definidas, você aumenta a eficiência do processo e reduz a chances de erros críticos (evitando “efeitos dominó” que comprometam toda migração), avançando de pouco em pouco para uma transição efetiva de sistemas.

  1. Definir o tipo de serviço que a sua empresa necessita.

Nem toda nuvem é igual. Por isso, contar com o auxílio de uma empresa especialista é a melhor alternativa. Com base nas suas necessidades, você entenderá qual tipo de serviço que mais se encaixa na sua empresa: nuvem pública, privada ou híbrida.

Além disso, defina quais as necessidades de serviço, considerando soluções SaaS (Software as a Service), PaaS (Platform as a Service) e IaaS (Infrastructure as a Service).

  1. Escolha o provedor da nuvem

Procure conhecer profundamente os provedores de serviços na nuvem.

Comece pelos mais famosos e eficientes, como o Microsoft Azure, por exemplo. O serviço de cloud da Microsoft é muito flexível, fornecendo as condições para que sua empresa conquiste seus objetivos de negócio.

Opte por experiência e know-how para contar não apenas com a infraestrutura, mas todo um suporte que otimize a relação e o seu trabalho.

  1. Planejar a execução de todos os processos

Muito além de colocar as etapas no papel, você deve considerar outras questões antes de executar a migração para a cloud.

A transição está levando em conta a legislação referente às informações do negócio, com segurança suficiente? Como será administrada a governança de TI após a migração? Os setores da empresa estão alinhados com a migração?

Faça questão de sanar dúvidas e preparar a empresa para a transição, evitando falhas durante e após o processo. Lembre-se também de executar os testes antes de começar oficialmente a migração.

  1. Monitorar a migração

Após que migração para a cloud iniciar, basta manter uma política de monitoramento dos processos.

Assim, você e sua equipe terão uma visão aprofundada do andamento das implementações. Dessa forma, é mais fácil e rápido identificar e corrigir eventuais problemas, por exemplo. 

Caso você acredite que a migração para a cloud é necessária para sua empresa se renovar diante de um mercado que exige inovação, conte com a iamit!

Especializada em migração para a cloud, a iamit conta com equipes certificadas e experientes para ajudar a sua empresa a realizar a transição de sistemas de forma eficiente e segura. Converse conosco agora mesmo!

Gestão da Nuvem: A importância após a jornada

jornada para a cloud computing é um movimento que se torna cada vez mais comum nas empresas. Em busca de redução de custos, disponibilidade e segurança, gestores apostam suas fichas na solução digital que dispensa hardwares robustos nas empresas ou a instalação de softwares. Tudo é feito pela rede.

Antes de realizar a sua jornada para a cloud computing, muitos pontos são levados em conta no planejamento: o diagnóstico, a definição de estratégia e roadmap de migração, as oportunidades de melhoria e, finalmente, a migração em si.

Se todas forem executadas com eficiência, o resultado a se esperar é uma migração de servidores que impacte positivamente na rotina produtiva.

Porém, isso só é possível com uma estratégia de gestão da nuvem.

Com esse cuidado, sua empresa estará preparada para oferecer um ambiente de cloud computing que potencialize o dia a dia dos seus funcionários, facilitando as operações das tarefas mais simples às mais complicadas.

A correta gestão da nuvem ainda ajuda sua empresa a economizar: com a estratégia ideal, você só gasta aquilo que usa (seja um software, ou seja o banco de dados), sem se preocupar com licenças ou limites de dimensionamento de rede.

Assim, sua empresa foca na produtividade, conquista uma vantagem competitiva muito importante e se torna verdadeiramente escalável, pronta para crescer e melhorar os resultados.

Gestão da nuvem: como fazer

Atingir ótimos resultados com sua gestão da nuvem é uma tarefa que precisa de cuidado e expertise. Um passo errado pode custar muito caro e dificultar o cenário em breve.

E qual a melhor maneira de conduzir esse processo? Explicamos:

1.     É hora de planejar: quais as necessidades da sua empresa?

A escolha do tipo de armazenamento definirá vários pontos de sua estratégia, como a escalabilidade.

Por isso, é preciso avaliar sua situação e suas necessidades antes de escolher um dos tipos de armazenamento na nuvem. Hoje em dia, são três as tecnologias cloud mais famosas: pública, privada e híbrida.

Com a nuvem pública, você terá toda a estrutura ao seu dispor por um preço acessível. Nesta opção, é o provedor que gerencia e realiza a manutenção do sistema.

Já com a nuvem privada, a estrutura é terceirizada por uma empresa especialista, que também fornece maior controle e segurança para sua empresa.

A opção híbrida é escolhida em casos únicos, no qual uma junção das duas tecnologias descritas acima ajuda a melhorar questões e funções específicas dentro de uma empresa.

2.     Quais provedores de serviço atendem suas requisições?

Após entender qual tipo de armazenamento mais se encaixa na sua estratégia de cloud computing, você deverá buscar uma opção entre os provedores de serviço na nuvem.

São várias as empresas que fornecem esse serviço, no entanto, nem todas são iguais. Sua expertise e certificação muda de player para player.

Busque com parceiros ou em avaliações na internet por feedbacks construtivos que o ajudem a entender qual empresa lhe trará os maiores benefícios.

3.     O provedor de serviço escolhido possui SLA?

Uma questão importante de ressaltar é o Acordo de Nível de Serviço (SLA, ou Service Level Agreement em inglês).

Esse termo serve para definir os deveres e direitos da relação entre empresa contratante e a contratada, especificando o nível e desempenho de entregas, monitoramento, segurança, suporte e diversos outros pontos.

Esse acordo é uma garantia que seu serviço de nuvem será o mais eficiente possível.

4.     Sua equipe está preparada?

Com o provedor de serviço de cloud computing escolhido, é hora de preparar seu time para realizar a gestão da nuvem.

Todos os funcionários devem entender como a nova solução de armazenamento funciona e como ela afetará os processos, desde um simples acesso a um arquivo até mesmo o uso de um software.

Além disso, deixe bem claro quais os canais de suporte contatar.

5.     Facilite tudo isso: terceirize sua gestão da nuvem

Uma saída mais rápida para todo esse processo de escolha é a terceirização da sua gestão da nuvem.

Ao contar com uma parceira especializada e certificada, você terá à disposição uma equipe de ponta atuando por trás dos processos de gestão, garantindo máxima entrega, disponibilidade e segurança para seu ambiente de rede.

Ao mesmo tempo, sua equipe de TI ganha mais espaço para trabalhar em funções estratégicas da empresa.

O resultado é um ecossistema tecnológico movido por resultados e máxima eficiência.

Gestão On Premise ou Gestão Cloud?

Uma questão bem comum na mente dos gestores é essa acima. Servidores On Premise ainda possuem espaço no mercado, mas o cloud vem conquistando (e aumentando) sua fatia. Mas afinal, qual a diferença?

Gestão de Servidores On Premise

No On Premise, são utilizados equipamentos e infraestrutura física, com hardwares específicos e dimensionados exatamente para a necessidade da sua empresa, o que representa uma vantagem.

No entanto, a desvantagem está nos custos: a implementação custa mais caro (pois necessita de espaço e ainda há os gastos com energia). A manutenção também costuma pesar no bolso.

Ele também pode ser terceirizado.

Gestão de Servidores Cloud

Nesta modalidade, toda infraestrutura pode ser contratada e acessada via internet pelos mais diversos dispositivos, como computadores, notebooks, smartphones, tablets etc.

A manutenção é realizada pela empresa provedora do serviço, assim como toda parte de licenciamento.

O investimento inicial pode ser consideravelmente menor e mesmo com as mensalidades, o uso dessa solução compensa, pois os provedores cobram apenas pelo espaço e softwares utilizados.

Microsoft Azure: um aliado para a gestão na Nuvem da sua empresa

O Microsoft Azure é o serviço oferecido pela gigante americana do setor tecnológico que reúne uma imensa variedade de soluções na nuvem.

A plataforma permite que sua empresa conte com uma vasta infraestrutura de cloud computing, além de disponibilizar softwares e ferramentas para que sua operação aconteça de forma eficiente.

Assim, com o Microsoft Azure, é possível concretizar a melhor estratégia de gestão da nuvem, centralizando as tarefas dentro da plataforma e ganhando em tempo, eficiência e resultados.

Quer aprender mais sobre como realizar uma boa gestão da nuvem com uma empresa especializada no assunto? É só falar com nossos consultores!

Para mais conteúdos sobre gestão de cloud computing e assuntos relacionados, fique ligado em nosso blog!